Geriatria

As alterações profundas registadas na sociedade ocidental e os espantosos avanços nas áreas Médica e Sanitária em geral nos últimos setenta anos vieram confrontar as pessoas, as famílias e as organizações com uma realidade nova em termos populacionais: o aumento da esperança média de vida e o incremento exponencial de um grupo de cidadãos de idade mais avançada.

Esta mudança de paradigma confronta a sociedade com uma série de novas questões e necessidades, para as quais urge encontrar a devida resposta e enquadramento.

Passam a ser prementes não só as questões da doença e da coexistência de várias doenças nestas faixas etárias, como também a preocupação com temas como a promoção do envelhecimento activo e saudável, do exercício físico, da nutrição, da estimulação cognitiva e mesmo questões sociais, como o isolamento e o abandono social e familiar.

Embora em termos clássicos se tenda a inserir neste grupo as pessoas com mais de 65 anos, é óbvio hoje em dia a existência de dois importantes subgrupos:

a) Aqueles que, nas décadas dos 60 e 70 anos, geralmente ainda autónomos e independentes, activos fisicamente, com alguns problemas de saúde e que no entanto se preocupam e desejam estabelecer desde cedo um programa de monitorização do seu estado de saúde e do seu processo de envelhecimento. Não se trata aqui de pessoas que se sintam mal, mas apenas que desejam definir e tentar controlar um processo de envelhecimento bem-sucedido.

b) Outras pessoas, a partir da década dos 80 anos ou mais novas mas com doenças pré-existentes que são causa de incapacidade importante, que se tornou crónica, e que no seu conjunto necessitam de uma abordagem médica mais dedicada e abrangente, envolvendo várias especialidades, trabalhando em conjunto com o doente e a família, permitindo apoio no tratamento e na passagem das diferentes fases do processo terapêutico e social.

São condições médicas comuns nestas idades:

Depressão

Alterações cognitivas (Defeito Cognitivo Ligeiro, Demência, D. Alzheimer)

Alterações comportamentais e emocionais

Alterações do equilíbrio e quedas, perturbações da marcha

Outras doenças neurológicas, de predomínio degenerativo ou vascular

Problemas do sono

Dor crónica (osteoarticular e neuropática)

Diabetes Mellitus

Doenças da Tiróide

Hipertensão arterial

Neoplasias

Doenças do coração

Problemas de incontinência urinária e fecal

Osteoporose

Doenças visuais

Estas são apenas algumas das doenças que poderemos acompanhar ou tratar.

Muitas vezes coexistem várias, o que pressupõe um acompanhamento multidisciplinar por médicos (medicina interna / geriatria, neurologia, psiquiatria, cirurgia geral e vascular, imagiologia), neuropsicólogos, psicólogos, psicoterapeutas e outros, sendo o tipo de acompanhamento desenhado à medida de cada pessoa.

A nossa equipa tem uma longa experiência no acompanhamento de pessoas de idade mais avançada. Sabemos que um cuidado de qualidade pressupõe uma discussão precoce dos temas e a apresentação de objectivos a serem cumpridos. Envolver a pessoa e aqueles que lhe são importantes na avaliação da situação e na criação de um plano de acção é essencial.

Temos igualmente disponível um programa de apoio e informação ao cuidador. Uma função/ocupação cada vez mais frequente nos dias que correm e, por vezes, tão injustamente esquecida.

 

Geriatria

Copyright © 2013 - Neurolis
Valid XHTML 1.0 Transitional